FIGUEIRA DA FOZ: José Manuel Pureza apresentou “Linhas Vermelhas”

11028016_10200716668476722_3905483879590427402_n

O livro do catedrático José Manuel Pureza ‘Linhas vermelhas’, no qual afirma que “Portugal acordou tragicamente tarde para a construção de um Estado amigo dos direitos das pessoas”, foi apresentado na sexta-feira, dia 14, no Red Shoes Bar (Figueira da Foz), e contou com as presenças do autor do livro, de Maria Toscano (Poeta e Socióloga), Bruno Fontes (Doutorando na FLUC) e mais de duas dezenas de pessoas.

Segundo o ex-líder da bancada parlamentar do Bloco de Esquerda e Cabeça-de-Lista pelo Círculo de Coimbra às próximas Eleições Legislativas, “não tivemos, nunca, em Portugal, um Estado de Bem-Estar consolidado e, por ser assim, nunca tivemos devidamente enraizada uma cultura de direitos sociais como suporte indispensável da prática dos direitos civis e políticos”. Actualmente, analisa o catedrático de Relações Internacionais da Universidade de Coimbra, “a vivência incipiente de Estado Social” que Portugal teve, actualmente, “nos parece inexoravelmente longínqua e remetida para um passado sem remissão”.